ENCONTROS ESTÚDIO UM: TEMAS E OBJETOS DO DESENHO

 

# 5: DESENHO E PALAVRA

 

ANA DUQUE

 

AS ESCRITAS DESENHO, ENTRE A TECKNÈ E A POIESIS

 

SINOPSE

Nesta comunicação pretendemos abordar as escritas-desenho ao longo da história, concretamente aquelas cujos sistemas evidenciam uma dimensão directamente ligada ao processo do desenho. O traçado formal dos signos é o cerne dos códigos de todas as escritas, sendo também a base da complexa relação entre a escrita e a caligrafia. Na fundação dos diferentes sistemas coexistem origens comuns, apesar de terem seguido padrões divergentes, bem patente nos pictogramas e nos ideogramas, das escritas orientais da Suméria, do Egipto e da China.

A escrita ocidental tem uma dimensão concreta, materializada e definida através de traços desenhados. Esta capacidade de registo, competência estritamente relacionada com a destreza manual, está na fundação da prática gráfica, operação evidente na caligrafia e que se relaciona com um estilo que acaba por ser o resultado da acção entre o escrevente e o instrumento de escrita, patente na marca ou incisão. Em latim, scribere, significa registo, marca. A legibilidade de uma letra exige a sua transparência, e tende a deixar de o ser, quando o espaço gráfico se transforma em espaço plástico, não permitindo assim a descodificação imediata da sua representação.

 

CV

 

2012 Ph.D.cum laude Facultat de Belles Arts, Universitat Politècnica de València.

2005 Master in Design and Multimedia Production Universitat de Barcelona.

1998 Industrial Design Degree ESAD – Escola Superior de Arte e Design.

1995 Bachelor of Arts, Drawing ESAP – Escola Superior Artística do Porto.

 

Docente na Escola de Arquitectura da Universidade do Minho e na ESAD - Escola Superior de Artes e Design de Matosinhos. Investiga sobre caligrafia e tipografia Portuguesa do séc XV.

 

 

27 DE FEVEREIRO DE 2013 | 14H30

BIBLIOTECA

ESCOLA DE ARQUITECTURA DA UNIVERSIDADE DO MINHO

VOLTAR